Exibir tudo

Campanha “Meu Guri… Refazendo essa história”

Campanha Meu Guri 2016/2017

Campanha de financiamento online para manutenção de casas que acolhem crianças, adolescentes e jovens em situação de risco pessoal e social e que sofreram maus-tratos

Imagine que você aos oito anos de idade precisou ser afastado do convívio familiar, pois teve os direitos fundamentais negados por seus pais. Imagine, agora, que você foi recebido em uma nova casa bem equipada, harmônica e estruturada que passa a ser seu lar. Este é o destino de muitas crianças e adolescentes de Belo Horizonte que têm seus direitos fundamentais previstos pelo Estatuto da Criança de do Adolescente (ECA) violados ou negados por sua família de origem.  Para que esses meninos e meninas possam voltar a viver com plenas condições de desenvolvimento pessoal e social, o Instituto Jurídico para Efetivação da Cidadania (IJUCI), por meio de voluntariado digital, lança a campanha “Meu guri… Refazendo essa história”, com o objetivo de arrecadar recursos para a manutenção dessas Unidades de Abrigamento Institucional, a fim de oferecer mais conforto, proteção e dignidade para esses meninos e meninas em seus novos lares.

As casas ainda estão sendo equipadas e o valor arrecadado com a “vaquinha” online será revertido em móveis, eletroeletrônicos e eletrodomésticos, itens de cama, mesa e banho, utensílios domésticos, entre outros materiais necessários assim como em nossas casas. Além de contribuir com a melhoria da qualidade de vida das crianças, adolescentes e jovens, a cada R$60,00 doados, o doador concorre a uma viagem para Buenos Aires, na Argentina, com direito a um acompanhante. As formas de doação e regras estão disponíveis no site da campanha: www.redeamiga.ijuci.org.br, e você pode participar quantas vezes quiser.

Em um dos lares serão atendidas crianças e adolescentes de ambos os sexos, na faixa etária de sete a 17 anos, exclusivamente grupo de irmãos. Duas unidades atenderão jovens de 18 a 21 anos, que viveram em abrigos e completaram maioridade. Outras duas casas acolherão meninos de 12 a 17 anos, somando-se as duas, geridas pelo IJUCI, que já recebem meninos dessa faixa etária. No total, até 87 crianças, adolescentes e jovens, em situação de risco pessoal e social, do município de Belo Horizonte, sob medida de proteção em acolhimento institucional, encaminhadas pelo Juizado da Infância e Juventude, Ministério Público e Conselho Tutelar, poderão ser atendidos nessas Unidades, em co-gestão com a Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social de Belo Horizonte.
Entre as diretrizes do Programa de Acolhimento Institucional está o compromisso com a promoção, proteção e defesa de direitos de crianças e adolescentes à convivência familiar e comunitária estabelecido na Constituição Federal de 1988 e no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) de 1990. Nas unidades esses meninos e meninas têm a oportunidade de refazerem suas histórias, provando que é possível mudar o curso de suas vidas e garantir um futuro mais digno, com preservação de direitos e retomada de esperanças.

Além disso, o ambiente de acolhimento deve criar mecanismos para fortalecer gradativamente a autonomia, desenvolvimento de habilidades e o pleno desenvolvimento nas diferentes faixas etárias atendidas, preservando-se a individualidade e características do público atendido.

Como posso fazer parte da Rede Amiga?

Com apenas R$20,00 ao mês, durante três meses você ajuda a equipar a casa nova para as crianças recém chegadas e já pode garantir as suas férias em Buenos Aires.

Clique aqui e faça sua doação agora mesmo!

 

 

Sobre o IJUCI

Fundado em junho de 2000, o Instituto Jurídico para Efetivação da Cidadania (IJUCI) é uma associação civil sem fins lucrativos que desenvolve ações com o objetivo de promover e garantir o acesso aos direitos fundamentais e humanos.

O IJUCI executa atualmente dez programas sociais de políticas públicas em parceria com os governos Municipal, Estadual e Federal, voluntários e outras instituições beneficiando crianças, adolescentes, jovens e adultos em situação de vulnerabilidade pessoal e social que tiveram seus direitos violados. Além disso, a instituição presta serviços a moradores de regiões com alto índice de criminalidade.

 


Quer saber mais sobre o IJUCI?

Clique aqui e conheça um pouco mais.